22 de fevereiro de 2018

Desvaneio de Astrologia!

Se tem um negócio nesse lance chamado vida que move as pessoas é o tal dos signos do zodíaco, acreditamos que por nascer em certo horário, dia e mês adquirimos certas características dado pelo o signo do momento. A prova real do que eu disse é quando interrompemos alguém para perguntar "Qual é o seu signo mesmo?" na intenção de compreender melhor a decisão que fulano tomou em certa situação.

Uma coisa que eu aprendi com a astrologia foi culpar todas as minhas falhas por conta do meu signo; Eu sou lerdo, me apego demais as pessoas, crush mandou um "oi" já me vejo no nosso casamento, sonho alto e tantos outros defeitos-, confesso que eu amo culpar as estrelas por eu ser assim, posso não acreditar cem por cento, mas se posso usar isso como desculpa, why not?

Vocês já pararam pra pensar que se eu tentar mudar esses traços do meu signo (lerdeza, apaixonado, lunático e trousha) toda a luta será em vão? Afinal, segundo a astrologia eu nasci com ele, e por mais que eu tente mudar o meu signo não permitirá pelo o simples fato dele ser assim-, é uma locura pensar assim, eu sei.

Será que eu devo apenas aceitar esses traços impostos ou tentar mudar mesmo sabendo que será em vão?

4 de fevereiro de 2018

Corre, corre, erê.

Em março eu faço 19 anos, e para quem me acompanha sabe que foi e está sendo difícil a transição de adoslecente para adulto, e agora as coisas ficarão um pouco mais grave, pois é neste ciclo que está chegando que as coisas começam a trilhar/fixar.

Finalmente estou aprendendo a lidar com o mundo adulto e seus privilégios, mas também estou ficando ciente do quão difícil é conseguir seu lugar nessa sociedade, e não vou  nem citar que tudo fica milhões de vezes mais difícil quando você é preto e gay.
 
Chegou um momento no qual eu percebi que ficar me predendo ao passado feat. lamentando não resultará em absolutamente nada. Meus colegas se formaram, alguns inclusive já estão na faculdade, e minha vida apenas ficou parada no tempo. É como diz Karol Conka: corre, corre, erê.

Ademais, tenho metas para serem cumpridas, um ano escolar para me recuperar, e um blog que me aguarda ansiosamente para contar esse novo ciclo que já devia ter inciado.

Esse momento é meu, 2018 será o ano que definitivamente vou me curar da depressão e das crises de ansiedades que me cercam, estou cheio de otimismo e esperança, eu sei que vou conseguir bater minhas metas este ano.

Todo começo de ano é assim, mas espero que dessa vez seja diferente. Eu vou conseguir, amém?!

18 de novembro de 2017

Só para constar

Que 2016 foi um dos piores anos da minha existência talvez se não o pior, todos nós já sabemos. Escrevi inúmeros desabafos que nunca foram postados para não encher o meu querido diário de coisas negativas, tinha meus motivos naquela fase para não postar.

Eu devia ter escrito sobre as coisas do qual me preocupavam e dos meus problemas reais, seria um modo de conseguir desabafar-me já que nunca gostei de compartilhar de fato os meus "pensamentos perturbadores". Sempre achei que as pessoas terão problemas maiores para se preocuparem, não que eu queira que elas tomem dos meus problemas o delas, ao contrário, mas a verdade é que no fundo elas vão fingir se importar e entender quando não dão a mínima. Eu posso falar da minha dor, mas você jamais irá entender.

Entretanto, naquele época eu não tinha a mínima vontade de expor meus medos e minhas tristezas aqui-, não quis deixar meu blog parecido com aqueles Tumbrls de garotos e garotas depressivXs, não tenho nada contra, apenas não deixaria meu blog assim. Opinião é uma coisa que muda constantemente, posso pensar assim agora e daqui um tempo me desmontar de palavras melancólicas com vocês.

Ainda penso se devo realmente dar tanta ênfase nesse ciclo ruim no qual estou passando, não sei se eu decido quando e como isso acaba. É horrível não ter autoestima, não pensar em futuro, faculdade e ser alguém na vida. Simplesmente não dou a mínima para a minha vida, e espero que as pessoas façam o mesmo.

5 de outubro de 2017

Sobre eu ter 18 anos

É difícil essa questão de eu ter a idade que tanto sonhava quando era criança-, a grande verdade da minha vida é que quando era criança e via-me limitado por minhas mães, deseja crescer logo para eu poder fazer o que bem 'entendia' da vida. E hoje que eu 'posso' fazer o que quiser sinto falta da tal limitação. 

O fato de eu ter 18 anos me faz relembrar e sentir saudades da época quando minha única preocupação era de não dormir no sofá, para que minha mãe não tivesse que me levar no colo para á cama-, a preocupação de agora é não conseguir alcançar todos os meus objetivos que tenho pra mim. É uma mudança que pra você possa parecer pequena, mas nesse momento da minha vida, a onde todos estão cobrando de mim, ficam dizendo o que eu devo fazer e o que não fazer, é horrível e me assusta; Se eu soubesse que a vida iria exigir muito mais do que minhas forças estão a oferecer, eu preferia nem ter nascido, não ter vida-, isso pode soar algo depressed pra você, entretanto não tenho a minima vontade de viver nessa sociedade a onde você só é alguém se tiver uma boa profissão e tiver dinheiro. Não nasci pra fazer parte deste roteiro tão decorado quando uma peça de teatro.

Talvez pela pessoas ao meu redor perceberem esse desanimo feat. medo de aceitar que eu cresci, elas acabam cobrando de mim mais por obrigação. Eu entendo que não querem que eu tenha uma qualidade de vida ruim, é que só tenho medo de aceitar todas essas respondibilidade que vem unicamente e exclusivamente com os 18 anos, apenas.

Sinto também que eu nunca acompanhei a minha idade, sempre gostei de ser maduro e ~fazer coisas de adulto~ antes da hora, e agora que eu cheguei no momento da minha vida de realmente ser maduro e ter a vida de boêmio, eu só quero abrir o Youtube e ouvir palavra cantada, sinto como se tivesse acontecido o efeito contrario comigo; quando criança queria ser adulto, e fazia coisas de adulto, agora que sou adulto quero ser criança e fazer coisas de criança.

A verdade é que estou inseguro, com medo, e essa não aceitação que cresci. Simplesmente quero brincar na rua como se não houvesse amanhã, quero brincar com terra, ir a parques, e ouvir todos aqueles conto de fada que minha mãe me contava antes de dormir.

13 de julho de 2017

O Dia em que eu conheci a MC XUXU

E aí meus queridos, como os senhores estão?! Há muito tempo não acontecia algo tão bom feat. marcante na minha vida. Para alguns podem soar babaquice, mas gente.. Conhecer a Xuxú foi algo realmente que me fez bem, e que me deu uma força para continuar esse jogo chamado vida. 
Acompanho a Xuxú desde dos tempos que eu locutava na HabboNight; estava querendo fazer uma programação LGBT+ e foi aí que eu conheci a trans mais militante que os meus olhinhos de jabuticaba já viram. Desde então, eu a sigo no Facebook, Twiiter e Instagram e é só sucesso. O amor foi tanto que eu criei o Fã Clube da Xuxú, inclusive os senhores deviam curtir a página no facebook, viu?!

Ela se tornou algo realmente inspirador para mim, nós nunca sabemos o que se passa na vida do outro, e os vídeos de autoafirmação que ela fazia no quadro 'To No Comando', me fizeram me aceitar, ou melhor, me entender gay, e que não havia nenhum problema em ser gay. Meio que foi uma salvação para mim.

Por fim tenho um carinho e um amor mega especial por ela.. E aí as coisas foram acontecendo, e acabou se tornando minha ídolo, e um motivo de inspiração para realmente me assumir e falar ''Sou gay sim, e daí?"
Xuxú me disse que estaria em São Paulo em breve, e que logo iria divulgar mais informações.. Imaginem, eu fiquei ansioso sem nem saber para o que era-, umas semanas depois ela divulgou que faria uma participação especial com a Linn da Quebrada no festival Contrapedal em São Paulo no dia 08 de Julho.. Manos! Te juro, na hora que eu vi a matéria entrei em desespero (quem me conhece sabe, que eu não moro em São Paulo capital, e sim no interior..), era férias, ou seja.. Eu estaria em São Pauloo!

Fiquei um mês e alguns dias contato os dias, as horas, e imaginando como seria ver a mulher que me inspirou na minha frente, ao vivo e em cores.. Até que eu descubro que o evento seria 1h da manhã. Minha mãe não me deixaria ir pra lá, nem fudendo, ainda mais de graça.. E então, veio a minha frustração.. Todo o meu esforço, a minha imaginação, água a baixo.

Confesso que fiquei bem triste..

Mas aí.. É como a Xuxu diz né?! Quando oprimem a gente, o que fazemos?! Damos a volta por cima nesses karalheio. E eu dei meu amor, bati o pé que eu iria, e fui, lindo e pleno, num evento sozinho, de graça, em São Paulo.. Vou nem citar que não levei o meu celular, e que não sábia como chegar lá.. Imprimi um papel com as coordenas do Google e fui-me. Isso se chama, força de vontade, hãããn! 👊




Eis que começa a grande luta para chegar no Centro Cultural Rio Verde, medo e ansiedade tomava conta do meu ser, pedia ajuda e proteção para todo lado.

Minha sorte é que depois daquele vídeo "Um Perdido no Metrô", me informei e estudei sobre o metrô de São Paulo, agora sei chegar em tudo que é lugar [quando tem uma estação de metrô próxima é obvio].

Fui até a estação Sumaré, e tinha que ir até a AV. Paulo XI.. Imaginem, eu sozinho, 23h da noite, em um lugar completamente desconhecido por mim, foi horrível. Entrei num táxi e dei o endereço.. Tinha 50$ no bolso, 20$ não daria, com toda a certeza.. Era perto o espaço da estação, mas não estava sabendo chegar lá. Por sorte deu 13.70$. Sucesso, né?!

Enfim cheguei no tal espaço. Eram 23:45. Consegui chegar sem ser roubado, isso é um desafio em Sampa, viu?!

A sereniedade do lugar, me surprendeu, as pessoas estavam bem arrumadas, tinha segurança na porta, e estava mega tranquilo-, nesse momento me veio o arrependimento de não ter levado minha câmera e o meu celular. Teria tirado umas fotos bem topzeira.

E também pelo o fato de que toda aquela gente que tava lá, estava acompanhanda, aí chega um menino sozinho, todo mundo olha, né?! Isso é deprimente, nunca fui de ter amigos em Sampa, mesmo. Isso é fato, mas eu ainda tenho uma resistência em sair sozinho.. Até isso Xuxú fez eu fazer, ela é maravilhosa ela.

Faltavam duas apresentações para então vir o momento mais esperado não só por mim, mas por todos, aquele momento que MC Linn da Quebrada receberia MC XUXU.

Achei o espaço do show, e resolvi ficar por lá, vendo as apresentações e conhecendo música boa.

Não quis ficar na pista pois só tinha gente com seus amigos, se beijando, dançando, felizes da vida, enquanto eu, sozinho, forever alone, sem nenhum aparelho eletrônico-. Completamente deprimente. Então eu fui para o "camarote" que qualquer um tinha acesso, porém estava vazio; é um piso superior a onde ficava a coxia de teatro. 

Fiquei assistindo uma dupla de uma meninas que estavam cantando para os grigos, aliás, como tinha gringo lá viu?! Quando eu menos espero, quem é que sai do camarim BRASIL?! Sim, MC XUXU! Meu coração disparou, fiquei ansioso, mão tremendo, e uma timidez do caralho. A principio pensei em ir até ela e falar com a mesma, mas além de eu ser tímido, aprendi a respeitar o artista.

 - A Xuxú naquele momento, não estava como cantora e pronta para receber um fã problemático feat. louco que não a deixaria em paz. Quando ela estivesse no palco, ai sim, seria outra história.

Eis que vem o momento Alice. (Na moral, eu sou muito Alice sim!)

A Xuxu estava falando com o seu amigo, ou produtor sei lá o que era dela, e ficava olhando para a pista toda hora. Como eu fiz Teatro, e sei reconhecer uma boa expressão corporal, posso afirmar, ela estava ME PROCURANDO. Manos dos sky, eu tenho certeza, por qual motivo ela estaria procurando algo lá em baixo?! Algum produtor? Amigo? É obvio que seria a pessoa que voz o escreve aqui. 💋

Tá, chega de ser Alice Gabriel. Apenas pare, gato.

Enfim, ela entrava e saia, assistia um pouco do show, e eu só ficava a observando. Ela parece ser aquela amiga que todo mundo quer ter, ela dança contigo na balada, se diverte e te diverte junto.

Finalmente, chegou o horário tão esperado pelo o qual eu vim esperando aproximadamente um pouco mais de um mês.

Linn da Quebrada recebe MC XUXU.

Nesse momento, a emoção tomou a conta do meu corpo, fiquei sem reação, não sabia se cantava junto, se apenas ouvia.. Fiquei perdidoo! Só sei que eu rebolei muito a raba (embora não sei rebolar), gritei o Clã, e admirei aquela beleza de Xuxu.

Fiquei bem próximo do palco, e uma hora ou outra ela iria me notar, e quando me notou.. Ai, sabe aquele momento que o seu ídolo olha pra você?! Ai, foi sensacional..

Quando ela saiu do palco, eu pedi um abraço de um modo amistoso.E recebi o abraço que eu tanto esperava.

Fim do espetáculo.

Conheci uma menina no meio do show, e ficamos amigos, ela queria usar o banheiro, e fomos até lá. Esperei a Vanessa do lado de fora, e Xuxu veio ao meu encontro..

Conversamos um pouco, e tiramos foto, do CELULAR DELA.


E depois, fomos até o camarim de penetra, e tirei mais foto com ela de um Iphone de um garoto que eu nunca vi na vida, risos.
Ahh essa foto, ela achou que ficou feia.. Mas ficou muito garota ela hhaha
Essa foto é um T I R O.
Mas foi isso, conhecer um ídolo é algo realmente que depois que passou, parece que foi um sonho, e sonhos é o que eu mais tenho tido com a Xuxu. 

Ah, gravei também contando como foi conhecer-la, porque não basta apenas escrever, a pessoa tem que gravar um video-log contando u-u